Governo do Estado realiza fiscalização em medidores de energia instalados em Manaus

Governo do Estado realiza fiscalização em medidores de energia instalados em Manaus

Operação executada pelo Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem) vai avaliar consumo em parte dos aparelhos

O Governo do Estado, por meio do Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem), iniciou, nesta quarta-feira (02/02), uma operação de fiscalização em novos medidores de energia (SMC) instalados pela concessionária Amazonas Energia. Os trabalhos serão realizados em dois bairros da capital, onde a empresa instalou os aparelhos antes da Justiça suspender a instalação.

A instalação dos instrumentos iniciou no dia 18 de janeiro, entretanto está suspensa em Manaus desde o dia 21 de janeiro, por decisão judicial que acatou Ação Popular contra a companhia. Estima-se que mais de 10 mil medidores tenham sido instalados pela Amazonas Energia na capital, o que gerou vários protestos da população pelos valores cobrados.

De acordo com o diretor-presidente do Ipem, Márcio André Brito, a fiscalização seguirá até sexta-feira (04/02) e consistirá na instalação de medidores padrão do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Em seguida, os dados serão comparados com os aparelhos da Amazonas Energia para verificar se estão realizando a medição correta.

“O que o Governo do Estado está fazendo é exercendo o direito do cidadão, fazendo com que ele tenha certeza que não está pagando por uma conta com valor adulterado, para ele ter a garantia que ele não está sendo prejudicado, que não está sendo praticado nenhum crime contra a economia popular. Esse é o papel do Ipem”, destacou o diretor-presidente do órgão.

A fiscalização do Ipem atende os requisitos previstos na portaria do Inmetro nº 371/2007.

Análise de medidores – A análise do Ipem avaliará um ciclo de consumo de 50 medidores instalados pela Amazonas Energia. Serão 30 no bairro Cidade Nova, zona norte; 10 no bairro Parque 10, zona centro-sul; e mais 10 da comunidade indígena Urucaia, localizada no bairro Cidade Nova, zona norte.

“Após essa instalação, serão acompanhados por 21 dias essas medições e vamos avaliar o resultado. Aí podemos garantir se existe realmente a fraude ou o equipamento que foi instalado está medido corretamente”, disse Márcio André Brito, acrescentando que caso seja constatada a irregularidade a empresa pode ser autuada e multada em até R$ 5 milhões.

Além disso, a ação visa verificar se os aparelhos nas residências dispõem de displays de leitura para o consumidor ter acesso aos números do consumo de energia.

O presidente do Ipem informou, ainda, que qualquer cidadão pode procurar atendimento no órgão caso perceba suposta irregularidade na cobrança do consumo de energia.

“Qualquer cidadão que se sinta prejudicado pode denunciar ao Ipem para que possamos fazer o mesmo serviço, instalar o medidor padrão e tirar dúvidas se a empresa colocou um equipamento que poderá proporcionar algum tipo de fraude”.

O órgão disponibiliza canais de ajuda por meio da Ouvidoria do Ipem, pelo número 0800 092 2020, das 8h às 14h, e pelas redes sociais.

FOTOS: Alexandre Vieira/Ipem e Arthur Castro /Secom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *