Ipem Amazonas

Destaques

Ipem-AM reprova itens pré-medidos típicos de festas juninas comercializados em Manaus

Os produtos reprovados em ensaios realizados no laboratório do órgão apresentaram divergência entre a quantidade declarada na embalagem e a verificada pela perícia
Ipem-AM reprova itens pré-medidos típicos de festas juninas
Diretor-presidente do Ipem-AM, Renato Marinho, acompanhou os ensaios de itens pré-medidos no laboratório do órgão / Fotos: Glauber Silva/Ipem-AM

No período de 26 a 29 deste mês, o Instituto Nacional de Pesos e Medidas (Ipem-AM) realizou a coleta e ensaios de produtos pré-medidos típicos do período junino (milho de pipoca, flocão, coco ralado, milho branco, entre outros). Do total de 342 amostras ensaiadas, 32 foram reprovadas por apresentar divergência entre a quantidade declarada na embalagem e a verificada pela perícia.

A ação ocorreu, simultaneamente, em todo país, como parte do Plano Nacional de Vigilância de Mercado (PNVM), coordenado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Produtos pré-medidos são aqueles embalados e medidos sem a presença do consumidor e em condições de comercialização dentro das conformidades exigidas pelo Inmetro. E, por conta do período dos festejos juninos, o Ipem-AM focou as ações nos produtos mais utilizados nesta época do ano.

Ipem-AM reprova itens pré-medidos
Itens pré-medidos típicos das festas juninas foram ensaiados em laboratório, como parte da ação nacional do Inmetro / Fotos: Glauber Silva/Ipem-AM

O diretor-presidente do Ipem-AM, Renato Marinho, explicou que a finalidade da ação é verificar se o peso declarado nas embalagens dos produtos pré-medidos mais procurados neste período do ano corresponde, de fato, ao peso indicado na balança.

“Durante os ensaios, constatamos que das 342 amostras coletadas em supermercados de Manaus, 32 estavam irregulares porque a quantidade declarada na embalagem não condiz com a perícia verificada em laboratório. Por isso, faço o alerta para que os consumidores fiquem atentos para ter a certeza de que está pagando pelo que irá consumir”, alertou Renato Marinho, ao acrescentar que entre os produtos reprovados está um item bastante procurado, o milho de pipoca.

As empresas responsáveis pelos produtos reprovados serão notificadas e terão o prazo de dez dias para apresentar defesa junto ao Ipem-AM. Em caso de reincidência, a multa varia de R$ 1 mil a R$ 1,5 milhão.

PNVM

O PNVM teve início em abril e cada semana um produto é alvo de fiscalização. Nesta etapa, o foco são as bijuterias, mas, anteriormente, já foram verificados, balanças, kit de GNV, capacetes, postos de combustíveis, componentes cerâmicos, máquinas de lavar roupas e refrigeradores, blocos cerâmicos, cronotacógrafos, brinquedos, taxímetros e fios, cabos e cordões flexíveis elétricos.

 

Ouvidoria

Consumidores que desconfiarem de possíveis irregularidades devem entrar em contato com a Ouvidoria do Ipem-AM, no telefone 0800 092 2020, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, ou pelo site: https://ipem.am.gov.br/ouvidoria/, e pelas redes sociais do órgão: Instagram – @ipem.amoficial; Facebook – Ipem Amazonas e Twitter – @ipemamoficial.

Transparência

Links Úteis

Aviso Ouvidoria